Madeira com História

 

 

Mario Moreria

 

MADEIRA COM HISTÓRIA


A madeira, elemento que já foi vivo e cumpriu um ciclo de existência enquanto

árvore, que a princípio terminaria com sua morte, por velhice, pela ação da própria

natureza ou intervenção do homem, em  uma visão menos atenta, tem seu fim

neste momento. Lenha, lixo ou podridão.

Esta exposição, que mostra algumas peças da coleção "Caos e Beleza" e

utiliza a madeira como matéria prima básica e também com presença do

metal,  prolonga este ciclo existencial transformando o caos em beleza

através da intervenção artística.

Não sendo figurativa valoriza a princípio a história que cada pedaço de madeira

traz consigo: rugas, cicatrizes, textura, cor ou da sua utilização pelo homem e

também aspectos estéticos possibilitando o prolongamento da sua existência

como obra de arte.

Para além dessa história que cada peça conta: um lugar, um acidente natural,

um presente de um amigo, um olhar mais atento há o aspecto estético.


Mario Moreira


 

Mario Moreira - Artista Plástico


Nascido em 1961, natural de Nova  Friburgo - RJ,  cursou a  EBA - Escola Nacional de Belas Artes - Universidade Federal do Rio de Janeiro, formando-se em 1985 bacharel em comunicação visual, atividade profissional que exerce desde então juntamente com as artes plásticas no Brasil e em Portugal, pais onde residiu 14 anos.


Como artista plástico explorou, desde muito cedo, vários caminhos e linguagens de expressão artística como o desenho, a pintura, a cerâmica, a assemblage ou ajuntamento e  murais em espaços públicos. Participou de inúmeras exposições coletivas e individuais e tem trabalhos expostos em diversos espaços de arte, empresas e coleções particulares no Brasil e Portugal.


De volta a sua terra natal em 2006, mistura na elaboração das suas peças, toda sua vivência na experimentação de varias técnicas e materiais, sempre com uma forte influência da natureza, uma constante em seu imaginário artístico.


Na última década têm desenvolvido a escultura em madeira com trabalhos não figurativos onde explora os elementos disponíveis em cada peça bruta tais como as texturas, imperfeições, cores, cicatrizes e a história que cada pedaço de madeira traz conseguem, valorizando sua beleza e possibilitando assim o seu renascimento estético.